Picking: 4 estratégias para melhorar essa etapa logística

Imagem de um trabalhador fazendo picking em um galpão logísticoBasicamente, o picking (bastante conhecido como order picking) consiste no processo de separar os pedidos do clientes. Feito isso, os colaboradores responsáveis pelo estoque coletam os produtos e enviam para o próximo setor (expedição) que irá fazer todas as checagens necessárias e preparar o transporte dos itens. 

Esse processo é muito importante, pois pode reduzir tempo de trabalho e gastos, além de aumentar a produtividade, sendo fundamental para e-commerces. E neste artigo, falaremos sobre as melhores estratégias para melhorar essa etapa da sua logística. Mas antes de começar: você sabe quais são os tipos de picking?

Tipos de picking

Existem 4 tipos de picking e cada um deles têm seu funcionamento próprio, vantagens e desvantagens, sendo adequados para diferentes tipos de empreendimentos. Vejamos um pouco mais sobre eles.

Picking discreto

Aqui, apenas uma pessoa é responsável pela separação dos pedidos, coletando um item por vez. Isso reduz as chances de erros e os custos drasticamente, mas o tempo gasto no processo é bem maior. Logo este tipo de picking é mais indicado para empresas que tenham pouca demanda. 

Picking por lote

Nessa modalidade, o colaborador espera que vários pedidos sejam acumulados para depois passar por todas as áreas coletando itens. Dessa maneira, ele pode concluir vários pedidos ao mesmo tempo, reduzindo deslocamentos. Este tipo de picking é ideal para quem trabalha com clientes que peçam vários itens iguais.

Picking por zona

O picking por zona funciona basicamente como uma linha de produção na qual o armazenamento é dividido por zonas e os colaboradores coletam os itens necessários em cada uma delas até que o processo termine. Esse processo é bastante organizado e comum em empresas que precisam separar seu estoque em algumas áreas.

Picking por onda

Por fim, esse tipo de picking trabalha coletando, ao mesmo tempo, itens de todas as zonas e separando-as de acordo com os pedidos. É uma junção dos dois modelos anteriores, sendo ótimo para empreendimentos que tenham muitos pedidos com diversos itens em cada um deles. 

E principalmente nesse caso, é muito importante trabalhar com algumas boas práticas para otimização de picking. Veja abaixo 4 dicas que separamos para te ajudar nesse sentido.

Dica #1: Mude o layout de armazém 

Uma ótima ideia é modificar o layout do armazém colocando os itens que tenham maior giro em prateleiras inferiores e próximos aos setores de embalagem e expedição. Enquanto isso, aqueles que tiverem pouco giro podem ficar mais distantes. Isso faz com que os funcionários encontrem tudo rapidamente, aumentando a produtividade. 

Dica #2: Defina rotinas

É importante ter um armazém organizado e bem sinalizado para que nenhum colaborador precise andar bastante para passar os itens à próxima etapa. Por isso, estruture as áreas de trabalho e sequencie todas as atividades para otimização de picking. 

Dica #3: Automatize os processos

Toda boa estratégia de picking conta com um sistema ERP para auxiliar os processos. Com ele, as operações gerais são integradas e diversas informações da rotina do setor podem ser visualizadas em tempo real. Isso, por sua vez, impacta positivamente no gerenciamento de riscos e no levantamento de inventário. 

Dica #4: Use tecnologias e ferramentas específicas

Além do sistema ERP, você pode utilizar outras tecnologias para integrar as áreas, diminuir erros, agilizar procedimentos, facilitar o trânsito de mercadorias etc. Leitores de códigos de barra e QR Code, por exemplo, são uma ótima pedida, pois reduzem o uso de documentos de papel no armazém. 

Com todas essas estratégias de picking bem estruturadas, a sua logística diminuirá o lead time dos pedidos a partir da otimização da liberação de itens. Assim, você não apenas reduzirá os seus gastos gerais, como também aumentará a satisfação dos clientes que receberão tudo no prazo delimitado!